Please enable JS

Fundação Eufraten ganha prêmio de Sustentabilidade

Fundação Eufraten prêmio sustentabilidade RAC Sanasa

Fundação Eufraten ganha prêmio de Sustentabilidade

Dezembro 01/AnaLuisa/Mutirão

É com alegria que compartilhamos que fomos vencedores do prêmio RAC-Sanasa de Responsabilidade Ambiental 2016 na categoria terceiro setor!
Esta premiação é um belo reconhecimento e nos impulsiona a continuar nosso trabalho educacional junto às crianças, jovens e famílias e também com o trabalho voluntário do mutirão: o grande responsável por estes belos jardins. O mais bonito é saber que cada uma destas maravilhas, desde as pequenas flores, até as mais altas colunas que remetem à Grécia Antiga estão ali, graças ao trabalho voluntário realizado todo sábado em nosso Mutirão.

O que a Grécia antiga tem a ver com o meio ambiente? Aos olhos da Fundação Eufraten, tudo. No movimento Mutirão, no qual os educandos e voluntários constroem com as próprias mãos jardins, praças e espaços inspirados na cultura grega, são utilizados restos e doações de obras como rochas, cacos de granito, vasos e mudas de flores e árvores, além de pedaços de calçamento de concreto, pedras encontradas nas estradas, estátuas quebradas.

Tudo é restaurado, revitalizado e transformado em espaços de aprendizagem para as crianças e comunidade. O local é cercado por uma ampla área verde para resgatar no ser humano o gosto pela arte e pela cultura grega, berço da civilização humana e que serve de base para o ensino da fundação. Este espaço também é conhecido como Campus do Autoconhecimento e fica localizado bem na sede da entidade, na Escola Preparatória para a Vida (EPV), no Jardim do Lago II, em Campinas.

A atividade que acontece todos os sábados, das 14h às 17h30, exala cultura e inspira a sustentabilidade. De acordo com Carmen Lúcia Ferreira Martines, diretora pedagógica e voluntária há 21 anos, o Mutirão é uma iniciativa promovida pelos voluntários da Eufraten para construir, nas comunidades onde funcionam suas EPVs, ambientes que promovam o autoconhecimento e a educação integral do ser humano. “Este movimento promove nos voluntários a descoberta e o desenvolvimento do seu potencial humano, conectando-o consigo mesmo e ampliando sua capacidade de ação com o todo. O trabalho voluntário é o exercício da ação ética para o bem comum. Na ação voluntária, exercitamos a iniciativa própria, o senso crítico e a criatividade, ampliamos nossas habilidades e vencemos nossos limites. Para isso o ser utiliza o querer e a sua força de vontade”, explica a diretora.

O Campus do Autoconhecimento possui diversos espaços como praças, jardins e caminhos, todos inspirados na Grécia Antiga, projetados por uma equipe de voluntários. Quarenta e cinco ambientes fazem parte dessa fase do projeto, chamado de Cidade do Autoconhecimento, sendo que 20 espaços já foram construídos. Todos eles com nomes gregos como Jardins de Athenae, Pórtico de Delfos, Ágora, Portal de Artemis, Praça Juno, Obelisco, Espaço Cultural Olímpia, Espaço Meditativo Alpha, Caminho das Flores, Caminho de Gorgeas, Via Ápia e Bosque Melaleucas.

Segundo Paula Andréa Silva Sousa Ramos, gestora da área de planejamento, o Mutirão é considerado um projeto de grande relevância para o meio ambiente, pois através dele uma área de seis alqueires é transformada em um espaço repleto de verde. “Disponibilizamos parte da área para que algumas empresas pudessem realizar sua compensação ambiental, o que resultou no plantio de centenas de árvores nativas tornando o espaço uma referência de verde na comunidade, além disso o reaproveitamento de restos de calçadas e pedras estão tornando o espaço uma pequena Grécia, país que inspirou a arte, a filosofia e o desenvolvimento do conhecimento humano. Hoje o espaço já é reconhecido como um Campus do Autoconhecimento inspirando a comunidade a utilizar a arte e a natureza para transformarem suas vidas e os locais onde vivem”, completa a gestora, que é voluntária há 27 anos.

AUTOCONEXÃO
Na unidade parceira, chamada Instituto Oikon, focado na pesquisa e desenvolvimento do comportamento humano, é desenvolvido um espaço chamado de Autoconexão (www.autoconexao.org.br). Fica localizado na Rua Nuno Álvares Pereira, 72, Vila Nogueira, próximo à Lagoa do Taquaral (telefones: 3256-0339, 3307-7735 ou 3307-7735). Lá também é oferecida a prática da meditação e aulas sobre a ciência do autoconhecimento de forma gratuita. Lembrando que Yoga Heulosófico é pago, pois os recursos ajudam na manutenção das atividades da ONG. Neste instituto também há uma equipe voluntária de Gestão Humana, que todas às terças-feiras, a partir das 18h30, recebe as pessoas que desejam ser voluntárias na Eufraten.
.
ARTE
A entidade oferece diversas oficinas no campo da arte, do esporte, do exercício da cidadania, preparação para o mercado de trabalho e do autoconhecimento. Todas com o foco no desenvolvimento do potencial humano para transformar vidas e comunidades. Integram as atividades, oficinas de dança, teatro, informática, futebol, vôlei, judô, descobrir-se brincando, Educarte (oficina de arte), yoga e corpo em movimento.

VOLUNTARIADO

São profissionais de diversas áreas como: médicos, pedagogos, psicólogos, empresários, donas de casa, advogados, matemáticos, engenheiros, arquitetos, comunicação e marketing, entre outros. Todos de forma voluntária atuam com foco no trabalho produtivo para o bem do todo, através do autoconhecimento.

Em todas as Escolas Preparatórias para a Vida (EPVs) da Fundação Eufraten (Jardim do Lago II, Vila Palmeiras e na cidade de Francisco Morato), é realizada de forma simples, porém efetiva, a coleta do lixo e a separação do reciclável e do orgânico. As crianças aprendem que nada se perde, tudo se transforma de forma produtiva e com arte. São estimuladas a também agir desta forma em suas casas, buscando soluções simples e criativas para tornar os ambientes mais bonitos e organizados. Exemplo disso é a atividade desenvolvida na Oficina Educarte, na qual os adolescentes transformaram caixotes de feira em bonitas prateleiras para organizar seus livros de escola e suas roupas em casa, bem como os brinquedos da brinquedoteca das unidades onde realizam atividades.

Todos participam, sem exceção, desde colaboradores da estrutura que trabalham na administração, até a cozinheira, a responsável pela limpeza, o jardineiro, os educadores, voluntários e educandos. Paula Andréa Silva Sousa Ramos, gestora da área de planejamento, conta que o lixo orgânico é utilizado para adubar a terra de uma horta existente no espaço e parte dos recicláveis são aproveitados na Oficina Educarte, realizada com adolescentes e mulheres da comunidade e na Oficina Descobrir-se Brincando, desenvolvida com crianças de 6 a 10 anos.

“O que não é aproveitado nas oficinas é doado para pessoas da comunidade que trabalham coletando lixo reciclável”, acrescenta a gestora. O plantio de flores existe desde quando a entidade foi fundada, em 1987. Para Carmen Lúcia Ferreira Martines, diretora pedagógica, o cuidado com a harmonia e arte nos ambientes sempre fez parte da história da organização. “Por mais simples que possam ser, as flores estão sempre presentes convidando a todos para contemplá-las, acalmando sua mente, aprendendo com a natureza”, afirma a diretora.

Tudo é cuidadosamente pensado pela equipe de voluntárias que planejam o plantio, bem como a colheita de sementes e o início da criação de mudas para o plantio. Parte das flores usadas são doadas pelos voluntários e produtores e outras são compradas com os recursos de campanhas realizadas pelos próprios voluntários para esse fim. Na horta caipira não é usado nenhum produto químico e sua colheita é para suprir as refeições feitas na entidade e também para venda na comunidade e voluntários. Outra prática que também visa a aproximação com a natureza é a prática da yoga. “Consideramos também a meditação e a prática da yoga como atividades que também aproximam o ser de si mesmo e da natureza, promovendo o bem-estar físico e mental. A meditação faz parte das atividades diárias das nossas EPVs, crianças, adolescentes e educadores meditam e fazem yoga, bem como são oferecidas gratuitamente para as famílias na comunidade”, finaliza Carmen.

Fonte: Correio Popular



RELATED POSTS


Comentários/ 0


LEAVE A COMMENT